As rugas de preocupação



Com o ar ainda mais circunspecto que o costumeiro, o dr. Mesóclise chamou para o seu austero gabinete de trabalho dona Marcelina, a faz-tudo da casa.

E entrou diretamente no assunto:

- Ouvi dizer que a senhora está vendendo produtos para a beleza das mulheres, perfumes, cosméticos, coisas desse gênero.

- É verdade, dr. - respondeu dona Marcelina, mãe de quatro filhos, avó de uma criança de pouco mais de dois anos, semialfabetizada, assídua telespectadora de novelas, empregada doméstica do dr. Mesóclise havia séculos.

- Nada contra, dona Marcelina. Mas veja, parece-me que ao tomar tal atitude a senhora não estaria de certo modo querendo dizer que o que lhe pago é insuficiente? 

- Imagine, dr. - apressou-se em dizer dona Marcelina, já nervosa.

- Acredito na sua palavra, minha senhora. É que sou daqueles que aprecio a lealdade de meus colaboradores, prezo pelo seu bem-estar, e digo-lhe, francamente, que acho um pouco inapropriado essa sua incursão pelo mundo do comércio.

- Mas dr., são apenas alguns produtos, faço isso em casa, à noite, não atrapalha em nada meu trabalho aqui - justificou dona Marcelina.

- Bem, não quero mais tomar o tempo da senhora, que tem muitos afazeres ainda hoje. Como disse, confio na senhora, embora ainda tenha reservas quanto a essas modernidades... Veja, sou do tempo em que a mulher se dedicava inteiramente ao lar, ao marido, aos filhos...

Dona Marcelina, depois dessa peroração, resolveu ficar calada. E se preparava para sair do sóbrio gabinete de trabalho do dr. Mesóclise quando ele se levantou da cadeira e, esfregando as mãos pálidas, perguntou a ela:

- Antes de se retirar, dona Marcelina, uma curiosidade: a senhora não disporia de algum creme que ajudasse a descansar a minha cútis? É que com tanta preocupação com os destinos desta nossa querida Banana Verde, com tanto a fazer pelo bem da comunidade, sinto que minha face se envelhece mais rapidamente.

- Claro que tenho, dr. Só um instante que eu trago o catálogo para o sr. escolher um dos cremes - respondeu dona Marcelina.

Dito isso, o dr. Mesóclise deixou de lado a sua habitual seriedade e deu um esboço de sorriso, seguido por uma frase apenas:

- Um creme antirrugas servir-me-ia plenamente, dona Marcelina.

Nenhum comentário:

Postar um comentário